O Dezoito Primaveras mudou! Você foi direcionado para o meu novo blog, mas o conteúdo antigo permanece disponível para você. Entenda um pouquinho mais sobre essa mudança neste post aqui.

A Mulher na Janela (A. J. Finn)


Para começar, esse livro me deixou tão desnorteada que nem de longe eu passei perto de descobrir o que estava por trás dessa história. "A Mulher na Janela" é a aposta da Editora Arqueiro neste início de ano para o gênero policial. Em seu primeiro romance policial A. J. Finn surpreende com uma trama cheia de mistérios e que envolve o leitor.

Sobre o livro



Anna Fox vive sozinha, é psicóloga e trabalhava com crianças, hoje sua distração é ajudar pessoas através da internet. Afinal, ela nunca sai de casa. Depois uma situação que a deixou traumatizada, ela é incapaz de encarar o mundo a sua volta. Vive enclausurada dentro da própria casa, sem abrir janelas e misturando remédios com vinho. Seu contato se resume apenas ao psiquiatra, a fisioterapeuta e David, o inquilino que vive no porão.

Mas nada disso impede que ela acompanhe a vida de seus vizinhos. Munida de uma Nikon, Anna acompanha e fotografa tudo pelas janelas da casa. Cria histórias e sabe qual o livro da vez no clube de leitura da sua vizinha. É assim que ela descobre sobre os novos vizinhos do outro lado do parque. Anna descobre tudo o que pode na internet e imagina detalhes da vida de cada um. Sem conseguir ficar longe das janelas, envolvida pelo mistério da nova família, Anna testemunha um assassinato.

Ninguém acredita em sua versão da história. Anna é a mulher que nunca sai de casa, estava bebendo e possuí um pequeno coquetel de remédios controlados na mesa da cozinha. Tudo não passou de uma alucinação. Mas Anna acredita no que viu e precisa encontrar uma forma de mostrar a verdade.

O que eu achei?



Nem mesmo sei descrever o susto que foi ler este livro ou como falar sobre a história sem contar detalhes do que aconteceu. Todas as pistas que o autor vai soltando durante a história te levam para caminhos totalmente diferentes e nada irá te preparar para o final desse mistério. Todo mundo é suspeito até os últimos capítulos, o que só faz com que você fique preso a leitura e tente encontrar outras pistas que te levam a uma nova teoria.

Em alguns momentos, comecei a desconfiar até mesmo da Anna, afinal ela passa o tempo todo bebendo e tomando remédios fortes. A minha leitura foi toda baseada em teorias. Cada capítulo eu me deparava com um ponto que achava suspeito e que merecia ser percebido. Ao chegar no capítulo seguinte descobria que nada do que imaginei poderia acontecer.

A trama é muito bem construída, sem perder o foco da história. Diferentes de muitos autores que criam histórias longas, onde boa parte poderia ser dispensada, este livro traz em cada página pontos relevantes para a história. Por ser o primeiro romance do autor, surpreende a forma como ele soube conduzir o leitor sem que a história perdesse o ritmo e o interesse.


Anna é uma personagem incrível! Dentre todos os romances policiais que já li, são poucos os autores que conseguiram construir uma personagem feminina forte e totalmente envolvida na história. Nada de uma mulher como objeto de cena, onde tudo acontece a sua volta e ela é apenas conduzida pelo outros personagens. Ela também seus segredos e serão revelados no momento em que você menos espera. Anna domina cada momento da história e tudo acontece em torno dela. Os demais personagens também não ficam atrás, o que só torna a história incrível.

Gostei bastante da descrição dos cenários, apesar dele ser bastante limitado, afinal praticamente toda história acontece dentro da casa de Anna. Isso facilitou muito o desenvolvimento da história. Você não fica apenas na expectativa do que vai aparecer, você pode acompanhar cada passo da personagem.

"A Mulher na Janela" é um livro surpreendente e que você precisa ler! Acredite! Mesmo para os leitores que não gostam ou não conhecem o estilo literário, acredito que seja uma boa aposta para começar a gostar.