Vento do Leste

Um mundo literário com doses do cotidiano

Destaques

Imagem de capa do card
[Resenha] Eu Perdi o Rumo, de Gayle Forman

É uma história que une três pessoas que se sentem perdidas, mas que vão descobrir que não estão sozinhas.

Ler o post
Outras postagens
Imagem de capa do card
As 10 capas mais bonitas da minha estante
Ler o post
Imagem de capa do card
Mulheres marcantes na literatura #2
Ler o post

Últimas resenhas

Últimas resenhas

Eu Perdi o Rumo

Editora Arqueiro

Ler o post

O Jardim Esquecido

Editora Arqueiro

Ler o post

Por uma Questão de Amor

Editora Novo Século

Ler o post

Uma noiva para Winterborne

Editora Arqueiro

Ler o post

Uma Dama Fora dos Padrões

Editora Arqueiro

Ler o post

Quinze Dias

Editora Globo Alt

Ler o post

Anuncio

[Livros lidos] Tag 50%


O final do ano está chegando, mas ainda dá tempo de fazer um balanço de todos os livros que eu já li até o momento. Mesmo que o ano tenha passado rápido, tive a chance de conhecer livros que superaram as minhas expectativas e outros que ganham espaço na minha lista de favoritos.

A TAG 50% foi criada pela Chami do canal Read Like Wild Fire e traduzida pelo Victor Almeida do canal Geek Freak.

1. O melhor livro que você leu até agora, em 2018.


A Mulher na Janela, A.J.Finn.
Anna Fox mora sozinha na bela casa que um dia abrigou sua família feliz. Separada do marido e da filha e sofrendo de uma fobia que a mantém reclusa, ela passa os dias bebendo (muito) vinho, assistindo a filmes antigos, conversando com estranhos na internet e... espionando os vizinhos. Quando os Russells – pai, mãe e o filho adolescente – se mudam para a casa do outro lado do parque, Anna fica obcecada por aquela família perfeita. Até que certa noite, bisbilhotando através de sua câmera, ela vê na casa deles algo que a deixa aterrorizada e faz seu mundo – e seus segredos chocantes – começar a ruir. Mas será que o que testemunhou aconteceu mesmo? O que é realidade? O que é imaginação? Existe realmente alguém em perigo? E quem está no controle?

Neste thriller diabolicamente viciante, ninguém – e nada – é o que parece. "A Mulher Na Janela" é um suspense psicológico engenhoso e comovente que remete ao melhor de Hitchcock.

2. A melhor continuação que você leu até agora, em 2018.


Mais Forte que o Sol, Julia Quinn.
Quando Charles Wycombe, o irresistível conde de Billington, cai de uma árvore – literalmente aos pés de Elllie Lyndon –, nenhum dos dois suspeita que esse encontro atrapalhado possa acabar em casamento.

Mas o conde precisa se casar antes de completar 30 anos, do contrário perderá sua fortuna. Ellie, por sua vez, tem que arranjar um marido ou a noiva intrometida e detestável de seu pai escolherá qualquer um para ela. Por isso o moço alto, bonito e galanteador que surge aparentemente do nada em sua vida parece ter caído do céu.

Charles e Ellie se entregam, então, a um casamento de conveniência, ela determinada a manter a independência e ele a continuar, na prática, como um homem solteiro.

No entanto, a química entre os dois é avassaladora e, enquanto um beijo leva a outro, a dupla improvável descobre que seu casamento não foi tão inconveniente assim, afinal...

3. Algum lançamento do primeiro semestre que você ainda não leu, mas quer muito.


Leve-me com Você, Catherine Ryan Hyde.
Esqueça todas as histórias que você já leu sobre as férias de verão. Troque as praias paradisíacas pelos tons terrosos das reservas naturais americanas, as cadeiras e protetores solares por um trailer e um pacote de marshmallows, e abra bem os olhos para observar as estrelas com August, Seth e Henry, o trio improvável e inesquecível de LEVE-ME COM VOCÊ.

É um daqueles livros que aquecem o coração e mostram que nem sempre a vida sai como o planejado, mas que as surpresas que surgem pelo caminho, muitas vezes disfarçadas de contratempos, podem ser exatamente aquilo de que mais precisamos.

4. O livro mais aguardado do segundo semestre.

A Ilha de Vidro (série "Os Guardiões"), Nora Roberts.
Uma deusa vingativa procura três joias: estrelas caídas que lhe darão um poder infinito. Para salvar o mundo, seis amigos juntaram forças para detê-la. Agora, na costa selvagem e bonita do condado de Clare, a batalha atinge seu clímax .

Doyle Mac Cleirich – soldado e imortal relutante – prometeu nunca voltar para casa. Mas quando a busca pela estrela final o conduz à Irlanda, fica claro que o destino tem outros planos para o rapaz.

Solitário por opção, Doyle também está lutando contra sua crescente atração pelo arqueólogo Riley. Seu espírito guerreiro é atraído pela natureza – e não há ninguém mais familiarizado com o indômito do que Riley. À medida que os seis guardiões enfrentam seu último desafio, Riley e Doyle estão preparados para arriscar suas vidas na batalha. Mas sem amor para sustentá-los, a busca está condenada ao fracasso...

5. O livro que mais te decepcionou esse ano.
Felizmente, fiz apenas boas descobertas neste ano. Alguns livros não atingiram todas as minhas expectativas, é claro, mas nenhum que eu posso classificar como decepção.

6. O livro que mais te surpreendeu esse ano.

Tipos Incomuns, Tom Hanks
Tom Hanks explora em sua primeira obra de ficção uma coletânea de histórias que disseca, com grande afeição, humor e perspicácia, a condição humana e todos os seus defeitos.

Um affaire agitado e divertido entre dois grandes amigos. Um ator medíocre que se torna uma estrela e se vê em meio à frenética viagem de divulgação de um filme. O colunista de uma cidadezinha com um ponto de vista antiquado sobre o mundo. Uma mulher se adaptando à vida na nova vizinhança após o divórcio. Quatro amigos e sua viagem de ida e volta à Lua num foguete construído num fundo de quintal.

Essas são apenas algumas das pessoas e situações que Tom Hanks explora em sua primeira obra de ficção. Os contos têm algo em comum: em todos, uma máquina de escrever desempenha um papel — às vezes menor, às vezes central.

Conhecido por sua sensibilidade como ator, Hanks traz essa característica para sua escrita. Ora extravagante, ora comovente, ocasionalmente melancólico, Tipos incomuns deleitará e surpreenderá seus milhões de fãs.

7. Novo autor favorito (que lançou seu primeiro livro nesse semestre, ou que você conheceu recentemente).

Já falei várias vezes aqui no blog o quanto o livro me surpreendeu e não é a toa que o livro está nesta lista também. A. J. Finn me surpreendeu demais e foi mais do que um excelente início para sua carreira. Estou torcendo muito para que venham outros livros incríveis.

8. A sua quedinha por personagem fictício mais recente.

Uma noiva para Winterborne, Lisa Kleypas.
Rhys Winterborne conquistou uma fortuna incalculável graças a sua ambição ferrenha. Filho de comerciante, ele se acostumou a conseguir exatamente o que quer – nos negócios e em tudo mais.

No momento em que conhece a tímida aristocrata lady Helen Ravenel, decide que ela será sua. Se for preciso macular a honra dela para garantir que se case com ele, melhor ainda.

Apesar de sua inocência, a sedução perseverante de Rhys desperta em Helen uma intensa e mútua paixão.

Só que Rhys tem muitos inimigos que conspiram contra os dois. Além disso, Helen guarda um segredo sombrio que poderá separá-los para sempre. Os riscos ao amor deles são inimagináveis, mas a recompensa é uma vida inteira de felicidade.

Com uma trama recheada de diálogos bem-humorados e cenas sensuais e românticas, Uma noiva para Winterborne é o segundo volume da coleção Os Ravenels.

9. Seu personagem favorito mais recente.
Como toda certeza, Rhys Winterborne do livro acima (Uma Noiva para Winterborne). Fiquei apaixonada pela galês que autora criou. O personagem foi tão bem construído que é difícil não se apaixonar por ele!


10. Um livro que te fez chorar nesse primeiro semestre.

Como eu era antes de vocês, Jojo Moyes.
Aos 26 anos, Louisa Clark não tem muitas ambições. Ela mora com os pais, a irmã mãe solteira, o sobrinho pequeno e um avô que precisa de cuidados constantes desde que sofreu um derrame. Trabalha como garçonete num café, um emprego que não paga muito, mas ajuda nas despesas, e namora Patrick, um triatleta que não parece interessado nela. Não que ela se importe.

Quando o café fecha as portas, Lou é obrigada a procurar outro emprego. Sem muitas qualificações, consegue trabalho como cuidadora de um tetraplégico. Will Traynor, de 35 anos, é inteligente, rico e mal-humorado. Preso a uma cadeira de rodas depois de um acidente de moto, o antes ativo e esportivo Will desconta toda a sua amargura em quem estiver por perto. Tudo parece pequeno e sem graça para ele, que sabe exatamente como dar um fim a esse sentimento. O que Will não sabe é que Lou está prestes a trazer cor a sua vida. E nenhum dos dois desconfia de que irá mudar para sempre a história um do outro.

11. Um livro que te deixou feliz nesse primeiro semestre.

Quinze Dias, Vitor Marins.
Felipe está esperando por esse momento desde que as aulas começaram: o início das férias de julho. Finalmente ele vai poder passar alguns dias longe da escola e dos colegas que o maltratam. Os planos envolvem se afundar nos episódios atrasados de suas séries favoritas, colocar a leitura em dia e aprender com tutoriais no YouTube coisas novas que ele nunca vai colocar em prática.

Mas as coisas fogem um pouco do controle quando a mãe de Felipe informa que concordou em hospedar Caio, o vizinho do 57, por longos quinze dias, enquanto os pais dele estão viajando. Felipe entra em desespero porque a) Caio foi sua primeira paixãozinha na infância (e existe uma grande possibilidade dessa paixão não ter passado até hoje) e b) Felipe coleciona uma lista infinita de inseguranças e não tem a menor ideia de como interagir com o vizinho.

Os dias que prometiam paz, tranquilidade e maratonas épicas de Netflix acabam trazendo um turbilhão de sentimentos, que obrigarão Felipe a mergulhar em todas as questões mal resolvidas que ele tem consigo mesmo.

12. Melhor adaptação cinematográfica de um livro que você assistiu até agora, em 2018.
Para minha tristeza, nenhum dos livros que li neste ano já ganharam adaptações para o cinema ou mesmo uma série. Mas estou aguardando ansiosamente pela adaptação de "A Mulher na Janela"! O livro foi publicado neste ano, mas o sucesso foi tanto que o filme já está garantido e, de acordo com as últimas informações, tem data marcada para outubro 2019. Então ainda anos resta mais um bom tempo de ansiedade! 😭

13. Sua resenha favorita desse primeiro semestre (escrita ou em vídeo).

A Luz que Perdemos, Jill Santopolo.
Lucy e Gabe se conhecem na faculdade na manhã de 11 de setembro de 2001. No mesmo instante, dois aviões colidem com as Torres Gêmeas. Ao ver as chamas arderem em Nova York, eles decidem que querem fazer algo importante com suas vidas, algo que promova uma diferença no mundo.

Quando se veem de novo, um ano depois, parece um encontro predestinado. Só que Gabe é enviado ao Oriente Médio como fotojornalista e Lucy decide investir em sua carreira em Nova York.

Nos treze anos que se seguem, o caminho dos dois se cruza e se afasta muitas vezes, numa odisseia de sonhos, desejo, ciúme, traição e, acima de tudo, amor. Lucy começa um relacionamento com o lindo e confiável Darren, enquanto Gabe viaja o mundo. Mesmo separados pela distância, eles jamais deixam o coração um do outro.

Ao longo dessa jornada emocional, Lucy começa a se fazer perguntas fundamentais sobre destino e livre-arbítrio: será que foi o destino que os uniu? E, agora, é por escolha própria que eles estão separados?

14. O livro mais bonito que você comprou ou ganhou esse ano.

Pollyanna, Eleanor H. Porter.
A pequena cidade e Beldingsville, no interior dos Estados Unidos, nunca mais seria a mesma depois da chegada de Pollyanna, uma garotinha órfã de 11 anos que ficou aos cuidados da tia rica, a irritadiça e intransigente senhora Polly Harrington. Com sua extraordinária visão do mundo, a encantadora menina conquista os habitantes da cidadezinha e ensina a todos o seu incrível "jogo do contente", um jogo de transformar vidas e modificar destinos.

Publicada como livro em 1913, a história da alegre e corajosa menina se tornou um clássico da literatura infanto juvenil e vem cativando diferente gerações de leitores com sua poderosa mensagem de otimismo e superação das dificuldades. É impossível não se encantar com Pollyanna. um exemplo inesquecível de amor, amizade e de como ver sempre o lado bom a vida.

15. Quais livros você precisa ou quer muito ler até o final do ano?
A lista é enorme, mas no momento o livro da Kate Morton que saiu este mês pela Editora Arqueiro (O Jardim Esquecido), o novo livro da Gayle Forman (Eu perdi o rumo), Um Milhão de Finais Felizes, Uma História é Tudo o que me Deixou.

@oventodoleste