Vento do Leste

Um mundo literário com doses do cotidiano

Destaques

Imagem de capa do card
As 10 capas mais bonitas da minha estante

Hoje eu separei os livros que antes de tudo foram escolhidos pela capa e eu guardo com muito carinho na minha estante.

Ler o post
Outras postagens
Imagem de capa do card
[Resenha] O Jardim Esquecido, de Kate Morton
Ler o post
Imagem de capa do card
Mulheres marcantes na literatura #1
Ler o post

Últimas resenhas

Últimas resenhas

O Jardim Esquecido

Editora Arqueiro

Ler o post

Por uma Questão de Amor

Editora Novo Século

Ler o post

Uma noiva para Winterborne

Editora Arqueiro

Ler o post

Uma Dama Fora dos Padrões

Editora Arqueiro

Ler o post

Quinze Dias

Editora Globo Alt

Ler o post

Baía dos Suspiros

Editora Arqueiro

Ler o post

Anuncio

[Resenha] O Jardim Esquecido, de Kate Morton



O Jardim Esquecido
Kate Morton
Editora Arqueiro
Onde comprar: Amazon

Sinopse: Uma criança abandonada, um antigo livro mágico, um jardim secreto, uma família aristocrática, um amor negado. Em mais uma obra-prima, Kate Morton cria uma história fantástica que nos conduz por um labirinto de memórias e encantamento, como um verdadeiro conto de fadas.

Dez anos após um trágico acidente, Cassandra sofre um novo baque com a morte de sua querida avó, Nell. Triste e solitária, ela tem a sensação de que perdeu tudo o que considerava importante. Mas o inesperado testamento deixado pela avó provoca outra reviravolta, desafiando tudo o que pensava que sabia sobre si mesma e sua família.

Ao herdar uma misteriosa casa na Inglaterra, um chalé no penhasco rodeado por um jardim abandonado, Cassandra percebe que Nell guardava uma série de segredos e fica intrigada sobre o passado da avó.

Enchendo-se de coragem, ela decide viajar à Inglaterra em busca de respostas. Suas únicas pistas são uma maleta antiga e um livro de contos de fadas escrito por Eliza Makepeace, autora vitoriana que desapareceu no início do século XX. Mal sabe Cassandra que, nesse processo, vai descobrir uma nova vida para ela própria.

Sobre o livro

O ano é 1913 e uma garotinha de quatro anos espera pela Autora em um porto de Londres. A dama pediu que ela ficasse escondida até que ela retornasse, também tinha pedido para que ela não dissesse seu nome a ninguém. Era uma brincadeira só delas, mas já estava ficando tarde e a Autora ainda não tinha voltado. Depois de um instante de distração, o seu esconderijo é revelado, outra criança a encontra e ele parece estar brincando, assim como a Autora estava brincando com ela. A curiosidade fala mais alto e ela decide ir atrás do garoto, que mal poderia haver nisso?

Já em 1930, em Brisbane na Austrália, a brincadeira da Autora já havia sido esquecida a muito tempo. Nell está comemorando seu aniversário de 21 anos junto com a sua família e o seu noivo. Ela jamais poderia imaginar que após essa noite a sua vida perderia o rumo. Um segredo de família viria a tona e ela iria descobrir que a sua vida perfeita foi uma mentira.

Hugh sabe que precisa contar a filha a verdade sobre suas origens. Desde 1913, ele e a esposa guardaram o segredo, mas sua esposa já havia falecido e Nell estava pronta para começar a vida adulta e construir uma nova família, o momento de revelar a verdade tinha chegado. Ainda assim, como ele conseguiria contar a sua filha preferida que ela tinha sido encontrada sozinha em um porto na Austrália, trazendo apenas uma pequena mala branca? Ele sabia o mal que faria desenterrar esse segredo, mas era para o bem de Nell.


Estamos agora em 2005, Cassandra não sabe que horas são, só consegue identificar que já é tarde, porque o hospital já está silencioso, diferente da movimentação que ocorre durante o dia. Há dias não sai de perto da avó, ela sabe que a qualquer momento, Nell irá deixa-la. Os momentos de lucidez da avó são cada vez menores, nos momentos em que está acordada ela só fala na Autora e na brincadeira que estavam fazendo. Cassandra já tinha escutado essa história várias vezes.

A morte da avó foi mais um golpe para Cassandra. Ela ainda lembra muito bem do dia em que a mãe a abandonou na casa de Nell, a avó que ela tinha visto poucas vezes. Nell sempre foi um mistério para ela, assim como o livro de contos de fadas que tinha encontrado na casa da avó no dia em que foi abandonada pela mãe. O livro estava dentro de uma pequena mala branca debaixo da cama e Cassandra foi atraída por ele, mesmo sabendo que não deveria mexer. Nell cuidou dela da melhor forma que pode, foi o seu porto seguro em mais de um momento, até mesmo depois que Cassandra perdeu a família pela segunda vez.

Depois de tantos anos vivendo com Nell, a leitura do testamento e a revelação da origem da avó se tornam um grande mistério para Cassandra. Nell deixou um chalé na Cornualha para sua única neta. Até então, Cassandra nunca soube que a avó tinha saído do país. A avó que ela conheceu tinha só uma loja de antiguidades a vida toda e agora tinha deixado uma casa que ela nunca soube da existência. Ela precisava entender o porquê de a avó ter guardado tantos segredos e ainda o que ela faria com o chalé?

Cassandra já carrega as próprias perdas, agora terá que carregar o passado da avó. Nell sabia que a neta não deixaria de tentar entender tudo o que aconteceu e é isso o que ela faz. Depois de encontrar a mala branca que não via desde a primeira vez que esteve na casa de Nell, Cassandra se vê chegando a Londres para seguir os passos que Nell deixou registrados em seu diário.

Quando chega no misterioso chalé, ela percebe que terá mais trabalho do que imaginava para reformar o lugar. Depois de ter sido abandonado por tantos anos, a natureza foi tomando conta do lugar. Mesmo com o próprio passado rondando os seus pensamentos, o chalé traz a paz que a muito tempo Cassandra não sentia. Há uma história escondida naquela propriedade e ela fará o que for necessário para descobrir.

A chave do mistério fora a maleta branca, ou melhor, seu conteúdo. O livro de contos de fadas, publicado em Londres em 1930, o retrato na folha de rosto. Nell reconhecera imediatamente o rosto da contadora de histórias. Algo nos recônditos de sua mente forneceu os nomes antes que seu consciente fosse acionado, nomes que ela achava que pertenciam apenas a uma brincadeira de criança. A dama. A autora. Não só sabia que agora a dama era real, como também o nome dela era: Eliza Makepeace.


O que eu achei?

Os primeiros capítulos vão apresentando pequenos pedaços da história de Nell quando era criança e na fase adulta, além de intercalar com o presente (que neste livro acontece em 2005). No presente, é a vez de Cassandra descobrir os segredos que a sua avó escondia. O livro tem praticamente 500 páginas, mas a história acontece com tanta naturalidade e é tão bem desenvolvida que conquista o leitor logo no início. Mesmo os capítulos intercalando o tempo e o personagem em destaque, a história é fácil para compreender e acompanhar as descobertas.

Terminei o livro apaixonada pela história. Assim como "A Casa do Lago", o outro livro da autora publicado pela Editora Arqueiro (veja a resenha), o mistério que envolve os personagens cria expectativas e aumenta a curiosidade do leitor. Em vários momentos me vi criando possíveis desfechos para cada um, mas a cada capítulo surgia um fato novo ou uma reviravolta que mandava por água abaixo qualquer teoria.


Um ponto alto do livro é a forma como a autora desenvolveu cada personagem, mesmo os secundários são fortes, bem construídos e não passam despercebidos na leitura. O passado e personalidade de cada um é o que traz ao leitor a emoção de desvendar o mistério.

Nell é um personagem a parte. Apesar de ter um capítulo curto dedicado a ela no presente, as partes em que aparece na fase adulta indo atrás do seu passado nos faz querer conhecer um pouco mais sobre a sua. Conforme a Cassandra vai descobrindo as pistas para desvendar o segredo, os personagens que tiveram contato com Nell vão contando um pouco de quem ela foi e isso traz a Cassandra uma nova forma de enxergar a avó.

Já a Cassandra tem seus próprios encantos. Era uma jovem apaixonada por arte e criava lindos desenhos, mas um trágico acidente tira o que ela tinha de mais precioso e ela se perde no tempo. Ela volta a viver com a avó e a relação entre elas permanece forte, mas a Cassandra é apenas uma sombra do que foi um dia. Como a própria Nell gostava de lembra-la, ela é uma sobrevivente. Desde nova ela é obrigada a se ajustar aos acontecimentos da vida. Primeiro o relacionamento com a mãe e o padrasto, depois quando é abandonada pela mãe na casa de Nell e depois com o acidente. O peso de tudo que ela carrega se torna pesado demais e é no chalé da Cornualha que ela começa a entender e aprender a lidar com tudo isso.

"O Jardim Esquecido" traz um mistério incrível e empolgante. Como eu já disse, apesar do tamanho do livro, a história acontece de forma rápida e nada cansativa. Em um passe de mágica você irá se encontrar em meio a um labirinto de mistérios e reviravoltas que vai te deixar apaixonado pela história! É um livro que vale a pena conhecer e reservar um lugarzinho especial na estante.
  1. Eu simplesmente amo livros com muito mistério, aventura e que te fazem parte da história também. Dessa autora eu nunca li nenhum, mas esse realmente parece ser maravilhoso. Adorei a sua resenha... já quero comprar.

    ResponderExcluir
  2. Gostei bastante da sua resenha, muito bem escrito! Gosto bastante de livros de aventura e daqueles que tem mapinha desenhado kkk Ainda não li esse livro, mas você me fez ter vontade de ler ^^

    ResponderExcluir
  3. Sei que não devemos julgar o livro pela capa, mas deu vontade de ler ele só pela capa. Livros com mistérios me agradam bastante, vou acrescer a lista de leitura com certeza! <3

    ResponderExcluir
  4. Livro bom é assim, que faz a gente ficar imerso na história, nos faz teorizar sobre tudo e todos. Um dos últimos livros que li fez isso comigo, e, aaaah, estou em êxtase!
    Adorei sua resenha e o modo como você apresentou a obra. A sinopse me deixou intrigada e curiosa, em especial porque nunca tinha lido nada sobre ele. Entrou para a wishlist :)
    beijos.

    ResponderExcluir
  5. Uau, que leitura maravilhosa! Amei a resenha, ótima escrita aliás, gostei bastante <3 Já me deixou com vontade de ler hehe gosto muitooooo desse genênero, dessa época e de histórias relacionadas a descobertas e segredos; parece ser um ótimo livro! Parabéns pela resenha :)

    ResponderExcluir
  6. Está aí uma resenha para me lembrar que não devo julgar livro pela capa. Não gostei da capa desse livro mas lendo sua resenha me interessei bastante por ele e fiquei curiosa em relação a história da Nell. Já quero saber tudo! hahaha Vou adicionar O Jardim Esquecido na minha wishlist :)
    Ótima resenha! ♥

    ResponderExcluir
  7. Eu não consigo dizer o quanto estou curiosa com a história da Nell... Se eu, que nem li o livro, já tô assim, imagino o quanto você foi ficando doida pra descobrir todos os detalhes do mistério enquanto li - e, principalmente, como a própria Cassandra lidou com isso na história! Não tinha ouvido falar desse livro ainda, mas deu vontade de lê-lo!
    E eu AMEI MUITO A CAPA! Muito!

    ResponderExcluir
  8. Fiquei extremamente curiosa pra ler e saber da história por completo. Amei a capa do livro já fiquei apegada, chama muito atenção. Esse livro vai pra minha lista de livros para ler o mais rápido possível.
    Beijo!
    layllannalima.blogspot.com

    ResponderExcluir
  9. Esses livros que tem um mistério por trás são minha paixão. Não conhecia esse título, mas fui contagiada pela história e esse capa é maravilhosa. Sem falar que sua resenha ficou perfeita. Obrigada pela indicação! :)

    ResponderExcluir

@oventodoleste