Quote da semana

Se você olhar para o centro do universo, existe frieza lá. Um vazio. No final das contas, o universo não se importa conosco. O tempo não se importa conosco. É por este motivo que temos que cuidar um do outro.

TODO DIA, David Levithan

Promoção na Amazon

[Resenha] Os últimos jovens da Terra, de Max Brallier


Jack Sullivan era um garoto normal de treze anos, vivendo na desinteressante cidade de Wakefield. Depois de passar por vários lares adotivos, ele tinha ido parar na casa da família Robinson, que não fazia a menor questão de fazer com que Jack se sentisse parte da família. E a prova disso é que, quando toda a confusão começou, eles se mandaram da cidade sem sequer se lembrarem do filho adotivo.

Agora, quarenta e dois dias depois, Jack Sullivan era um herói, ou o mais próximo que poderia chegar disso. A verdade é que a cidade virou de cabeça para baixo depois do Apocalipse dos Monstros. Ele estava dentro do ônibus escolar com Quint, seu melhor amigo, assim que as aulas acabaram. De repente o ônibus foi atacado por monstros e zumbis, algo que nunca pareceria real. Às pressas, os dois conseguiram fugir da escola e foi quando decidiram se separar. Jack prometeu manter contato através do walkie que eles mantinham para se comunicar. Mas o aparelho acabou caindo e se despedaçando.

Isso foi há quarenta e dois dias. Desde então ele estava dedicando parte do seu tempo para consertar o aparelho e enfim ele conseguiu. E o melhor, Quint estava bem. Seria arriscado tentar chegar até a casa do Quint, principalmente depois do último monstro que encontrou. Desde o Apocalipse dos Monstros, criaturas horrorosas apareceram na cidade, mas nenhuma com a inteligência e maldade do Blarg. Jack cometeu o erro de acertar o Fatiador (um taco de beisebol surrado). Agora Blarg estava caçando, mais precisamente, caçando o Jack.



Mas o monstro terá que esperar. Jack consegue levar todas as coisas do Quint para a casa da árvore que virou o seu lar depois do Apocalipse dos Monstros. Com a ajuda do Quint, Jack consegue proteger a casa e já planeja como irá completar o seu feito máximo de Sucesso Apocalíptico: resgatar uma donzela em perigo. E essa seria ninguém menos que June Del Toro, a editora do jornal da escola, onde Jack também trabalhava, e que no meio da confusão do primeiro dia do Apocalipse, entrou correndo para dentro da escola. Ele precisava resgatá-la.

E aqui começa a aventura. Com a busca pela donzela, Jack e Quint irão enfrentar alguns problemas e logo um novo membro inesperado irá se unir ao grupo. Mas há um perigo maior do que os zumbis e as criaturas estranhas que dominaram a cidade. Blarg ainda está a solta e Jack tem certeza que o seu tempo está acabando. Todo herói precisa de um grande vilão, o seu está a espreita, apenas esperando pela sua chance de vingança.




Preciso dizer que eu amei esse livro! Não sei nem por onde começar, mas a edição está perfeita! A capa está maravilhosa, a diagramação melhor ainda e as ilustrações do Douglas Holgate são incríveis! Eu me senti completamente imersa na história e acabou sendo uma leitura surpreendente e gostosa. Apesar de a história ser mais curtinha, há uma boa narrativa que vai conduzindo o leitor e apresentando os detalhes do mundo pós-Apocalipse dos Monstros. É repetitivo, eu sei, mas eu adorei demais esse livro.

Os personagens são contagiantes. São crianças que sequer atingiram os quinze anos e estão lidando com uma cidade inteira em meio ao caos. Não há fácil acesso a comida, a luz e internet. Cada um precisa lidar com os recursos que encontra pelo caminho. E neste ponto, Quint é genial! É inacreditável ver o que uma criança inteligente é capaz de fazer em meio ao apocalipse. Já as ilustrações dão um toque a mais para a história. Mesmo que a narrativa do autor seja ótima, as ilustrações permitem dar vida as situações que os personagens estão enfrentando.

Jack é um personagem maravilhoso, não que os outros não sejam, mas ele carrega a história de ser uma criança que passou por mais lares adotivos do que é capaz de lembrar e não teve a oportunidade de criar vínculos com ninguém. Pela primeira vez nos seus treze anos, ele tem um amigo e um lar, mesmo nas condições em que estão vivendo e que o seu lar seja apenas uma casa na árvore.

Enfim, gente. Ótima leitura, divertida, cheia de aventuras, criaturas assustadoras e muitos, muitos zumbis! Uma leitura leve para ler em uma sentada só. Anota na lista de vocês, porque esse está mais que recomendado!