[Resenha] Pulso Forte, de Lauren Blakely


Max conquistou o seu espaço e se tornou um dos melhores construtores de carros de Nova York. Era reconhecido por muitos clientes importantes, o que lhe garantia negócios ainda maiores. O seu próximo cliente estava prestes a fechar um contrato. Seria uma oportunidade sem igual e Max não deixaria que nada atrapalhasse o seu negócio. Nem mesmo sua ex-funcionária talentosa, inteligente e extremamente atraente. Henley trabalhou há cinco anos em sua oficina e foi a melhor aprendiz que ele já teve. O talento de Henley era notável e ele tinha certeza que ela chegaria ao topo, mas ela ainda não estava pronta. O talento não era tudo o que Henley precisava para trabalhar em um meio que era ocupado por homens. Ela tinha um temperamento difícil e era dever de Max ajuda-la a controla-lo. Mas como ele faria isso se em todo o momento em que ela estava ao seu lado ele só conseguia pensar no quanto se sentia atraído por ela? Não saber lidar com essa atração foi o seu maior erro e custou o emprego da sua melhor funcionária.



Cinco anos depois, Henley reaparece em sua vida, de uma forma totalmente provocante. Depois de todo esse tempo, ela tinha conquistado o seu espaço e o respeito de todos. Acima de tudo, ela continuava irresistível. Só que agora ela era sua concorrente. Henley voltou para a cidade para trabalhar como mecânica chefe na oficina do seu maior rival e ela não escondia a raiva que ainda sentia por Max. E se Henley começasse a levar os seus clientes? Isso mudava as coisas completamente. Max sabia que não poderia se envolver com a concorrência. Ele precisava proteger os seus negócios antes de qualquer coisa.

Max foi convidado para construir um carro para um programa de TV. Era um projeto que colocaria sua oficina em maior evidência e com certeza traria novos clientes. Mas por ironia do destino, Max teria que dividir a oficina com a sua nova concorrente. Seu cliente achou que seria uma boa ideia convidar Henley para participar do projeto. De alguma forma ele viu no desespero de Max para ficar longe e na raiva de Henley a química perfeita para atrair os telespectadores. Enquanto tudo o que Max mais queria era manter distância, agora ele teria que arranjar uma forma de manter a foco no trabalho e esquecer a atração que sentia por Henley.



Max é o tipo de cara que não consegue interpretar a mais simples das atitudes. Ele é o tipo de cara que toma as decisões erradas pensando no que ele acha que a pessoa quer, sem nem se preocupar em perguntar antes. No começo da leitura, eu acabei ficando com raiva dele e torcendo para que tudo desse errado só pelas besteiras que ele dizia. Ele surge na história como o cara mais importante da cidade, no que diz respeito a construção de carros, mas é uma adolescente quando diz respeito a personalidade. Ou seja, o tipo de cara clichê que podemos encontrar em muitos filmes.

Já Henley é o tipo de mulher que sempre chama a atenção dos homens em um espaço completamente masculino. Henley é apaixonada por carros e foi o que a levou para a faculdade de engenharia e depois a fez procurar um emprego na oficina de Max. Ela precisou se esforçar dobrado para mostrar que tinha talento. Além disso, ela sabe que é bonita e usa isso a seu favor, principalmente quando esta flertando com Max.

Pulso Forte traz o ponto de vista do personagem masculino e temos uma versão mais divertida e até mesmo cabeça dura de um romance explosivo e sensual, como já é a marca registrada da Lauren Blakely. É uma história que traz um cenário completamente incomum sem ser completamente machista. A protagonista reforça o tempo todo que as mulheres precisam demonstrar duas vezes mais o seu talento quando estão em um ambiente ocupado por homens, mas ainda assim a autora soube levar a história de forma a não focar inteiramente nisso, mostrando que é algo cada vez mais comum e natural de se ver.

Max e Henley mostram ao leitor logo de cara que existe algo mais ali. Há química entre eles e é fácil perceber isso. O que é muito bom para acompanhar o desenrolar da história. O começo foi um pouco difícil para mim, talvez por achar que o ritmo estava um tanto lento, mas conforme os capítulos vão passando a história alcança um bom ritmo e prende a atenção do leitor até a última página.

Apesar de esse ser o quinto livro da série, ele pode ser lido separadamente sem prejudicar a sua leitura. Já a edição está, mais uma vez, impecável! Adoro o trabalho da Faro Editorial, porque eles sempre pensam em tudo para fazer o leitor feliz, e deixam as edições incríveis.


  1. Não sou muito chegada a esse tipo de leitura, mas achei interessante que, mesmo sendo com um protagonista masculino, o livro não ficou com veia machista. Achei super legal isso e espero que os outros livros da série sejam nesse mesmo naipe.
    Bjks!

    Mundinho da Hanna | Instagram | Skoob

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Isso também me surpreendeu, acho que ajudou bastante para que fosse uma boa leitura! :)

      Beijos

      Excluir
  2. Oi, Michelly!

    Que legal o livro ser narrado pelo ponto de vista do homem, é uma característica diferente e dificilmente vista quando se trata do gênero. Parece também que a obra fala bastante do lado profissional do casal, o que também me deixou interessada na leitura. Adorei a sua resenha!!

    xx Carol
    https://caverna-literaria.blogspot.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Siiim! É um ponto de vista bem diferente e dá um charme a mais para a história!

      Excluir