Lançamentos | Os livros da Faro Editorial para Janeiro

Escrito por


É isso! O ano mal começou e a Faro Editorial está com uma lista incrível de livros que chegarão as livrarias no primeiro mês de 2022.

Fico muito feliz de compartilhar estes lançamentos com vocês! Depois de tanto tempo de parceria, fico contente em ver essa Editora crescendo e conquistando cada vez mais leitores. 2022 promete ser um ano repleto de novidades, novos autores, novos gêneros e muitos livros favoritados. Desde já, vou avisar que é melhor você se preparar, porque muita coisa boa vem por aí!

Se você ainda não acompanha a Faro nas redes sociais, você pode escolher a rede em que tem mais afinidade e acompanhar todas as novidades por lá. Fique atento as postagens no Instagram, Facebook, Youtube e Twitter.

Então vamos ao que interessa, certo? Vem conferir comigo a lista de lançamentos da Faro Editorial:



UM PACTO DE SILÊNCIO… E A RELAÇÃO ENTRE AMIGOS É POSTA À PROVA.

Todos os anos as montanhas da Califórnia sofrem com uma temporada de incêndios. Ninguém leva isso mais a sério do que Hannah, a filha do xerife. Até este verão…

Quando ela e seus melhores amigos provocam um incêndio de forma acidental, o instinto os leva a fugir, mentir para a polícia e para os investigadores.

Mas o que era um pequeno fogo toma proporções gigantescas, devorando tudo o que encontra pelo caminho: casas, animais, pessoas. É nesse momento que as relações de amizade se estremecem e cada um vai revelando faces de suas personalidades até então desconhecidas

O QUE ALGUMAS PESSOAS SÃO CAPAZES DE FAZER DIANTE DO MEDO, DO DESESPERO OU POR INSTINTO DE SOBREVIVÊNCIA?


A autora JENNIFER LYNN ALVAREZ possui bacharelado em Literatura Inglesa pela Universidade da California, Berkeley. Mentiras incendiárias é seu romance de estreia para jovens adultos e seu primeiro thriller. Jennifer mora em um pequeno rancho no norte da Califórnia com a família e alguns cavalos.



A Soma de Todos os Afetos traz a reunião das crônicas mais inspiradoras da autora, que abordam sobre sentimentos e percepções da vida, tão delicadamente desenhadas, que poderiam ser indicadas para quem busca entender as particularidades do nosso processo de amadurecimento emocional.

Tradutora de emoções, a prosa poética apresentada é como uma janela que abre horizontes para pessoas sensíveis. É um toque de vida aos que procuram explicações sobre o sentir. É mãe que assopra a ferida do filho que caiu da bicicleta. O reencontro consigo mesma e o amor pelos seus são tão intensos que transformam letras em risos, frases em lágrimas, textos completos em simples suspiros. Seus parágrafos têm cor e cheiro. O livro todo é um grande abraço terno de reconciliação com a maturidade que a vida proporciona.


A autora FABÍOLA SIMÕES é influenciadora digital, youtuber, escritora (e também dentista). Tem quatro livros publicados; um canal no YouTube, onde apresenta dicas de filmes, séries e livros; e um site em que, juntamente com outros colunistas, publica textos semanalmente. Casada e mãe de um adolescente, trabalha há mais de vinte anos como endodontista e, nas horas vagas, gosta de maratonar séries (Gilmore Girls e The Office estão entre suas preferidas); beber vinho tinto; ler um bom livro e estar entre as pessoas que ama. Pela Faro Editorial, publicou os best-sellers Deixei meu coração em modo avião e Textos para acalmar tempestades.



Salvar o mundo de um apocalipse de zumbis e monstros nunca foi tão difícil… Jack e seus amigos estão procurando o vilão Thrull e seu exército de esqueletos. E o tempo está correndo contra eles: o inimigo já começou a construir um portal poderoso capaz de trazer o mal supremo para a Terra.

Seguindo uma pista encontrada por June, o grupo deixa a cidade e embarca numa viagem épica, cheia de monstros a cada esquina, locais apavorantes e grandes descobertas. Para quem ama histórias divertidas sobre amigos desbravando o mundo enquanto o salvam de monstros terrivelmente perigosos.

Os últimos jovens da Terra — A estrada dos esqueletos, lançamento da Faro Editorial, é a aventura que não pode faltar para a família.



Metamorfose foi escrito por Franz Kafka em apenas vinte dias. E mais de cem anos depois da primeira publicação, a obra continua a provocar leitores, acender debates, inspirar interpretações que se transformam e ganham novos olhares a cada época.

Com uma narrativa aparentemente simples, direta, cheia de absurdos, o autor construiu uma obra farta em camadas; a partir do olhar do homem que virou inseto e de como o mundo ao seu redor reage tão naturalmente a ele, a história traz temas tão universais como a paralisia, a transformação, o despertar no cerco de nossas dúvidas e de nossas relações sociais.


O autor FRANZ KAFKA (1883-1924) nasceu em Praga, é filho de Julie Kafka e Hermann Kafka, e cresceu sobforte influência das culturasjudia, tcheca e alemã. De 1901 a 1906, estudou direito na Universidade de Praga, onde conheceu seu grande amigo Max Brod, e posterior biógrafo. Max descrevia Kafka como tímido e pouco ligado à fama. Boa parte da obra de Kafka é composta por contos, mas ele também escreveu três romances, embora não tenha terminado nenhum. Kafka faleceu com apenas 41 anos, na Áustria, em decorrência de tuberculose



Depois de uma aventura dentro do jogo Potência Máxima, Jesse e Eric não queriam mais saber de videogames… Eric, na verdade, só estava interessado em joguinhos para celular.

Então surge uma oportunidade para salvar um amigo que ficou preso no jogo e Jesse aceita a missão, e logo se vê dentro do mundo invisível do game Solte as Feras.

Agora, para resgatar o amigo, os dois precisam lidar com Pés-Grandes, dinossauros e morcegos gigantes, enquanto descobrem segredos que poderão mudar o mundo.


O autor Dustin Brady vive em Cleveland, Ohio, com sua família. Ele passou boa parte da vida perdendo no Super Smash Bros. para seu irmão Jesse e para seu amigo Eric. “Eu amo ser autor, porque amo ver as crianças animadas com os livros. A melhor coisa que já aconteceu comigo foi quando peguei cartas de pais e professores que deram meu livro a alguém que não gosta de ler e disseram que esta é a primeira obra que o filho leu, gostou e voltou pedindo mais.”



Robert Nozick foi professor de filosofia na Universidade de Harvard. Famoso por suas contribuições para a filosofia política, seu livro Anarquia, Estado e Utopia ajudou a estabelecer a perspectiva liberal clássica e libertária como uma alternativa viável ao liberalismo igualitário redistributivo e ao socialismo.

Sua análise clara, acessível e bem fundamentada atravessou fronteiras e venceu o National Book Award em 1975. Apesar de muitos filósofos divergirem dos argumentos apresentados, seu trabalho não pôde ser ignorados pela academia.

Em sua obra, Nozick explorou ideias sobre os direitos individuais, a necessidade de limitar o poder do Estado e os mecanismos de crescimento da riqueza num sistema de livre mercado, conceitos perfeitamente elucidados por Aeon J. Skoble nas páginas deste livro.


O autor AEON J. SKOBLE é membro do Fraser Institute e professor de filosofia na Universidade Estadual de Bridgewater, em Massachusetts. Reconhecido por seus métodos inovadores no ensino de conceitos econômicos e da filosofia por trás de mercados e troca voluntária, Skoble palestra e escreve para o Institute for Humane Studies, o Cato Institute e a Foundation for Economic Education. É autor, editor e coeditor de vários livros sobre filosofia política, filosofia moral e economia.



A era da razão é considerada uma obra de introdução e referência para quem estuda o pensamento liberal e a filosofia, mas nem sempre foi assim. Este livro reúne os resultados de anos de estudo e reflexão de Thomas Paine sobre o lugar da religião na sociedade, questionando a autoridade da igreja em assuntos fora de seu escopo, mas expressando uma forte defesa da crença em Deus com base na razão (deísmo).

Considerando o contexto político na época, é fácil compreender por que suas palavras soaram tão desconfortáveis para tantas pessoas. Com A era da razão, Paine acabou por influenciar o pensamento de inúmeros intelectuais ao redor do mundo, criticando a corrupção da Igreja Cristã e seus esforços para adquirir poder político numa época em que fazer isso poderia significar sua ruína e destruição social. Suas ideias priorizam a razão em lugar da revelação, mas não se trata de uma obra ateísta, e sim deísta: pois defende a ideia de uma religião natural, a importância da consciência individual e a existência de um Deus criador.


O autor THOMAS PAINE (1737-1809) foi um ativista político, filósofo, teórico político e revolucionário anglo-americano, e um dos fundadores dos Estados Unidos. Nasceu na Inglaterra, teve uma breve passagem na marinha, tentou a carreira como artesão e trabalhou no governo britânico como cobrador de impostos. Essa experiência moldou sua visão crítica sobre o sistema parlamentar da Grã-Bretanha. Em 1774, imigrou para os Estados Unidos, onde passou a se dedicar ao jornalismo e à escrita de artigos, poemas e panfletos que impressionaram e incitaram debates políticos e a revolução norte-americana.

/


Publicado originalmente em 1776, O bom senso nasceu como um manifesto criado a partir da insatisfação dos norte-americanos com a Grã-Bretanha, que queria impor novos impostos e restringir o comércio, mas acabou se tornando um documento contundente na luta pela independência dos Estados Unidos.

Em sua época, o texto encontrou uma audiência altamente receptiva, impulsionou o desanimado exército de Washington e prenunciou muitas das palavras e do conteúdo presentes na Declaração da Independência.

O manifesto propõe reflexões de caráter filosófico a partir de julgamentos, cenários e argumentos, e seu conteúdo tem sido utilizado para embasar discussões sobre os mais variados assuntos relacionados à liberdade e democracia em nossa época, reafirmando o caráter perene das proposições apresentadas por Paine.


Comentários