Páginas

Onde me encontrar

Busca

Quote da semana

Quando acordei hoje de manhã, eu sabia quem eu era, mas acho que já mudei muitas vezes desde então.

Lewis Carroll

Sweeney Todd, o barbeiro demoníaco de Fleet Street


Originalmente publicado em 1846, na Inglaterra Vitoriana, Sweeney Todd, o barbeiro demoníaco da Rua Fleet é uma das Penny Dreadfuls - antologias de terror - mais famosas e queridas de todos os tempos. Lançado periodicamente em capítulos, em um formato semelhante ao folhetim, a história do barbeiro que assassinava seus clientes e fornecia a carne dos corpos para a fabricação das tortas mais famosas de Londres ganhou grande popularidade no século XIX, sendo posteriormente adaptada para o teatro e também para as telonas, graças ao diretor de cinema Tim Burton.

Benjamin Barker passou 15 anos afastado de Londres, após ser obrigado a deixar sua esposa e sua filha. Ele retorna à cidade ávido por vingança, agora usando a alcunha de Sweeney Todd. Logo ele decide ir à sua antiga barbearia, agora transformada em uma loja de fachada para vender as tortas feitas pela sra. Lovett. Com o apoio dela Todd volta a trabalhar como barbeiro, numa sala acima da loja. Porém o grande objetivo de Todd é se vingar do juiz Turpin, que o enviou para a Austrália sob falsas acusações para que pudesse roubar sua mulher Lucy e sua filha.



Neste ano, a obra completa 172 anos e a Editora Wish iniciou uma campanha de financiamento coletivo no Catarse para publicar o livro, até então inédito no Brasil. A campanha ficará no ar por dois meses, e até agora já arrecadou 41% da meta. Para realizar a publicação, a editora precisa arrecadar no mínimo R$ 22.103,00. Quem colaborar vai receber exemplares da obra e brindes extras.




O financiamento já está a todo vapor no Catarse e você tem várias opções para escolher e ajudar a publicar. Basta acessar o www.catarse.me/sweeney.
  1. Que projeto bacana Michelly! E que ideia ótima essa do financiamento coletivo. Adorei as opções de apoio que incluem a caneca e a bolsa. :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim! Estou torcendo para que a Editora consiga publicá-lo *-*

      Excluir