O Dezoito Primaveras mudou! Você foi direcionado para o meu novo blog, mas o conteúdo antigo permanece disponível para você. Entenda um pouquinho mais sobre essa mudança neste post aqui.

[Resenha] Mais Forte que o Sol da Julia Quinn



Mais Forte que o Sol
Julia Quinn
Editora Arqueiro

Sinopse: Quando Charles Wycombe, o irresistível conde de Billington, cai de uma árvore – literalmente aos pés de Elllie Lyndon –, nenhum dos dois suspeita que esse encontro atrapalhado possa acabar em casamento.

Mas o conde precisa se casar antes de completar 30 anos, do contrário perderá sua fortuna. Ellie, por sua vez, tem que arranjar um marido ou a noiva intrometida e detestável de seu pai escolherá qualquer um para ela. Por isso o moço alto, bonito e galanteador que surge aparentemente do nada em sua vida parece ter caído do céu.

Charles e Ellie se entregam, então, a um casamento de conveniência, ela determinada a manter a independência e ele a continuar, na prática, como um homem solteiro.

No entanto, a química entre os dois é avassaladora e, enquanto um beijo leva a outro, a dupla improvável descobre que seu casamento não foi tão inconveniente assim, afinal.

Sobre o livro

Eleanor Lyndon – Ellie – é uma mulher inteligente, independente, bonita e tem sempre uma boa resposta para os comentários maldosos de sua futura madrasta. Muito a frente das mulheres de sua época, Ellie conseguiu aprender o bastante para investir em ações e vem conquistando o próprio dinheiro, mesmo que tenha que usar o nome do seu pai para realizar os investimentos. Afinal, não havia possibilidade de uma mulher entender o suficiente para se arriscar no mundo dos negócios.

Ellie vê nesse dinheiro uma chance para se livrar do casamento de seu pai. A mulher que ele escolheu, além de ser a maior fofoqueira da cidade, pretende fazer da vida de Ellie um inferno.


Foi pensando no que os seus investimentos lhe renderiam que ela viu Charles Wycombe despencar de uma árvore aos seus pés. Após o susto pôde perceber o quando o homem estava embriagado, o que seria o único motivo para explicar o motivo de ter subido naquela árvore. Ellie sabe bem quem é o homem, o conde de Billington, com fama de libertino.

Ao tentar descobrir o que o motivou a subir naquela árvore, Charles conta à Ellie que está prestes a perder toda sua fortuna. Seu pai deixou em testamente que se o conde não cassasse antes de completar 30 anos toda a fortuna ficaria para o seu primo. E não resta muito tempo. Ao pensar nisto, Charles vê em Ellie a sua salvação. Não seria um grande sacrifício, afinal a moça é bonita e dona de um humor sem igual. Pensando nisso e aproveitando que já estavam quase chegando a sua carruagem, Charles pede Ellie em casamento.


Sem acreditar no que o conde diz, Ellie nega o pedido, mas promete que irá pensar, depois de toda a insistência de Charles. Ao chegar a casa, Ellie mal consegue acreditar no que aconteceu. Ainda pensando no assunto, ela encontra com Sra. Foxglove, a futura esposa de seu pai. A mulher resolve por as cartas na mesa e mostrar a Ellie uma prova do que a espera depois do casamento.

Disposta a não ficar na mesma casa que Sra. Foxglove, Ellie vai atrás do homem responsável por controlar o dinheiro dos seus investimentos e descobre que não poderá retirá-lo sem que o pai vá até lá. Esse dinheiro era a sua última esperança. Neste momento, a proposta de Charles parece ser o que lhe restou.

Depois de um acordo entre os dois, Charles e Ellie marcam o casamento. Charles para manter o seu dinheiro e Ellie para ficar livre das garras de sua madrasta. Um casamento por conveniência era comum entre nobres, mas será difícil para Ellie se acostumar com o marido. Um homem em que ela não consegue confiar facilmente, afinal, Charles já teve muitas mulheres e ela não quer um marido que possa trai-la.

A convivência e os problemas que surgiram no caminho aos poucos parece uni-los. Charles consegue ver além da beleza de Ellie. Uma mulher forte e inteligente fará este casamento mais fácil. Sem contar o desejo por Ellie que cresce a cada dia. Apesar do acordo que fizeram, Charles percebe que será cada vez mais difícil manter a sua parte. Além de perceber que ela não é indiferente aos seus beijos.

Enquanto isso, Ellie aos poucos vai deixando sua resistência de lado e o conhecendo melhor. O libertino aos poucos começa a ficar para trás. Estar perto dele a deixa confusa, para alguém que sempre teve uma resposta pronta para tudo, Charles é capaz de faze-la perder o chão apenas pela forma como a olha.

O casamente que não parecia mais do que um acordo, um inconveniente, passa a ser a chance de encontrar a felicidade.



O que eu achei?

Preciso dizer que eu amei esse livro! A narrativa me surpreendeu e me conquistou nas primeiras páginas. A história acontece de forma leve sem deixar o leitor perder nenhum detalhe.

Como já disse no começo, Ellie é uma mulher a frente do seu tempo. A inteligência dela e sua atitude de não deixar ninguém passar por cima dela me ganharam. Ela é o tipo de personagem feminino que faz tanta falta nos livros. Uma mulher feminina, mas cheia de atitude, mesmo quando se vê em um relacionamento com um desconhecido. Ela vai ser enrolando na história sem perder o que ela é. Ela cansou-se com um conde, mas não deixa de lado o que fez a vida inteira e não pretende virar uma desocupada morando num casarão. Em momento algum ela pensa no dinheiro de Charles, ela quer apenas o dinheiro que conquistou com os seus investimentos.


Charles não fica atrás. Apesar de ser um libertino, ele foge do típico homem mulherengo. Ele sabe como conquistar uma mulher e ele quer a sua esposa, por isso não vai medir esforços para conquista-la. Mas ele também não é apenas isso. Conforme a história vai crescendo, a autora mostra o envolvimento dele com as sobrinhas que também moram eles, além do respeito que tem por seus funcionários. Apesar de ser um homem rico, ele jamais tem atitudes mesquinhas e preconceituosas.

"Mais forte que o sol" é um livro apaixonante. Não tem como não ficar encantado com cada personagem, além de dar boas risadas. Nele, os protagonistas irão aprender que um casamento por conveniência não é pior decisão que tomarão e que viver na companhia um do outro será fácil e tentadora. A autora conseguir construir dois personagens carismáticos, que ganham o público logo de cara, além da química entre os dois que não passa despercebida.