[Resenha] As Irmãs Grimm: E a Criança Problema, de Michael Buckley



As Irmãs Grimm: A Criança Problema
Michael Buckley
Editora Novo Século
Onde comprar: Amazon

Sinopse: Para Sabrina e Daphne Grimm, as últimas detetives de contos de fada, existe um mistério que elas querem resolver mais do que qualquer outro. Quem sequestrou seus pais há mais de um ano? Sabrina conseguiu entrar no esconderijo da Mão Escarlate, o grupo sinistro de Sobreviventes que mantém seus pais como prisioneiros. Ela tem a chance de salvar seus pais, mas é impedida por um dos personagens mais famosos do mundo dos contos de fada. Como uma criança humana pode derrotar uma criança mágica? Com a ajuda de sua irmãzinha (que pode ser mais corajosa do que Sabrina pensa) e de um parente há muito distante, Sabrina encontra uma arma poderosa para lutar contra seus inimigos, e descobre que a mágica tem um preço alto.


No último livro da série, as Irmãs Grimm não só descobriram que os pais estão vivos, como sabem quem está com eles. Sabrina está cansada de lutar e ter que descobrir um jeito de resgatar os seus pais, que estão no esconderijo da Mão Escarlate, mantidos em um sono profundo. A criatura mágica que sequestrou os seus pais é uma garotinha com grandes poderes e que não pretende abrir mão de criar uma família toda sua. O leitor é surpreendido por encontrar a própria Chapeuzinho Vermelho como a grande vilã dessa história. Uma garota com vários (vários!!!) problemas psicológicos e que acredita que pode sequestrar pessoas para brincar de casinha com ela. Irritada por ter seu esconderijo encontrado por uma das Irmãs Grimm, a Chapeuzinho Vermelho irá usar seu Jaguadarte – um monstro gigante e perigoso – para defender os seus pais de mentirinha. Sair do esconderijo com os seus pais é o menor dos problemas da Sabrina, quando a criatura surge na sua frente. Mesmo com a ajuda de Puck, o perigo é enorme e, de jeito nenhum, ela irá sair de lá sem levar os seus pais.

Como se não bastasse, outro filho da vovó Relda aparece de volta a Ferryport Landing. As irmãs sequer sabiam da existência do tio, mas como nada na vida das duas foi normal desde o desaparecimento dos pais, o tio é o menor dos seus problemas. Jacob parece o tipo de pessoa inconsequente que deseja apenas reunir o máximo de artefatos mágicos que puder, mas ele quer ajudar. Ainda assim, a sua volta não foi bem recebida pela vovó Relda. O que Jacob poderia ter causado há tanto tempo que ainda mantivesse a vovó com um pé atrás?



No terceiro livro da série, o leitor é apresentado a mais personagens como a Fada Azul, com o seu enorme poder de conceder qualquer desejo; a uma versão mais sombria da Chapeuzinho Vermelho, com tendências homicidas; e o reino da Pequena Sereia, que nada lembra a história que já conhecemos.

O final não deixa de ser tão surpreendente quanto o livro anterior. Mas esse não é o único ponto forte do livro. A história é cheia de aventuras e mistérios, além de trazer ao leitor, a importância de manter os nossos valores, o amor pela família, a paciência e reconhecer que não podemos julgar um grupo inteiro pelas ações de uma minoria. É um livro que une a maturidade e a fantasia sem cair no clichê.

Como eu já disse na resenha do segundo livro (confira aqui), esse é um livro que nos faz recordar pedaços da infância e descobrir novas versões para as histórias mais famosas dos irmãos Grimm. Nele você é levado para um mundo que apesar de ser próximo do que já conhecemos é completamente diferente. Super recomendo a leitura, não só deste livro, como da série inteira!


Comentários