We're all survivors




Oi! :)
Antes de começar esse post, aperte o play.

Oh life, is just a game, no one ever tells you how to play. See different people, go different ways. Some of them will leave you but some of them will stay.

Um sonho realizado para conta de 2019.

O que eu nunca seria capaz de imaginar é que, depois do post de algumas semanas atrás comentando a felicidade que seria participar do show do Passenger em São Paulo, hoje eu voltaria para contar o tanto de coisa incrível que aconteceu comigo em um único dia. A verdade é que eu não sei sequer por onde começar. Pode parecer clichê, mas é como se ainda não tivesse caído a ficha e nada tivesse acontecido. Ainda. Mas a verdade é que foi um dia para guardar na memória e no coração. Cheio de gente alegre, companheira e que dividia o mesmo sonho de anos de espera.

Logo que comprei o ingresso, descobri que alguns fãs criaram um grupo no Whatsapp para ir atualizando e compartilhando tudo sobre o show que aconteceria no Brasil. Gente de todo o canto estava lá para dividir um pouco da sua ansiedade para chegada do show. E vou dizer que não há nada melhor do que compartilhar um pouco da sua felicidade com pessoas que compreendem muito bem o que você está sentindo.

Acho que posso dizer que todos nós temos ou já tivemos carinho por algum artista que de alguma forma conseguiu atingir, em cheio, o nosso coração. A diferença é como lidamos com isso. Você pode ser feliz apenas por ouvir as músicas e acompanhar as redes sociais. E você também pode aproveitar cada oportunidade de estar perto e devolver um pouco do que recebe.

Foto: Jarrad Seng


A primeira música que tive contato foi Let Her Go, assim como muitos que já o conhecem. Se você nunca escutou tira cinco minutinhos do seu dia e corre lá no Youtube. Essa música surgiu para mim em uma época que estava tudo bem conturbado e através dela conheci outras que me acolheram com muito carinho. Aos poucos foi como se tivesse conquistado um amigo. Como uma das minhas que estava na fila comigo disse: essas músicas me deram força e me acolheram quando não contava com mais ninguém. A verdade é que muitas vezes você está acostumado a ser a o apoio de alguém, mas quando chega a sua vez você não pode contar com mais ninguém. Nem sempre isso acontece porque as pessoas a sua volta são indiferentes ao que acontece contigo, mas algumas vezes é apenas pelo fato de você não ser uma pessoa aberta, alguém que está acostumado a deixar que as pessoas te ajudem quando necessário. E aqui vem o que estávamos conversando na fila. As músicas do Passenger nos atingiram tão forte porque se tornaram a nossa base, um apoio. Muitas das letras dele representam muito do que eu estou sentindo e isso traz um conforto enorme.

De uma forma resumida, esse era dos motivos para que eu estivesse com a expectativa tão grande para esse show.

O dia começou cedo e às 8h eu já estava na fila, enquanto o show só começaria as 19h. E tive a sorte de encontrar pessoas incríveis, não vou me cansar de dizer isso. Graças a eles a espera foi tranquila e cheia de risadas. Ouvimos músicas, tivemos fotos e vídeos nossos compartilhados pelo Jarrad Seng e Stu Larsen que logo estaria lá naquela noite para acompanhar o Mike Rosenberg. A organização da fila foi incrível. O pessoal que chegou primeiro deixou tudo certinho e não tivemos nenhum problema, mesmo na entrada do show.

O ponto alto da espera foi quando o Mike chegou para passar o som. Ninguém saiu correndo nem agarrou o coitado, rs. Ele foi super simpático com todos e pediu para tirar foto com cada um. Logo quem estava na fila se organizou e ninguém perdeu a chance. Depois disso, era só esperar pelo show. E caramba, QUE SHOW!




A energia que percorreu a fila durante o dia ganhou forma e força desde a abertura do show até o encerramento. Não houve um momento que não tivesse sentido a emoção que todos estávamos sentido. Conseguimos que ele mudasse uma das músicas do show para comemorar o aniversário de uma das meninas que passou o dia na fila com a gente. Uma das músicas que há muito não entra no setlists dele, mas está presente em todas as nossas playlists foi como a cereja do bolo. Pode até parecer cafona, mas não há como descrever o que foi esse show. Posso apenas desejar que ele volte logo.

Chegar cedo também teve suas vantagens. Fiquei pertinho do palco, sem nada que separasse o público do palco. E aqui peço desculpas, porque eu dificilmente eu vou ter coragem para divulgar os vídeos. Acabei o show roca e no dia seguinte estava quase sem voz. O que explica o motivo de todos os meus vídeos aparecerem demais a minha voz. Cantei para caramba, errei a letra, cantei junto com todos que ficaram comigo durante o dia e a cada pedido de mais que vinha do palco.




Separei duas músicas para vocês. Espero que gostem!



Comentários

  1. Poucas (ou talvez nenhuma) coisas na vida me emocionam mais que experiências de fãs... Talvez porque já tive minha cota delas e tenho outras que ainda quero ter, talvez porque é algo MUITO maravilhoso, mesmo, e talvez os dois. Mas ler esse post, sobre esse momento tão especial (suas fotos com eles, aaaaah), nossa, fez meu coração inchar de alegria e os olhos brilharem muito, num dia em que estou bem sensível e tristinha... Obrigada por esse relato lindo e que MARAVILHOSO que você se sentiu assim e pôde compartilhar isso com outras pessoas tão fãs quanto... Não tem dinheiro no mundo que pague isso, mas pelo menos paga entradas, então já tá bom, hahahaha!

    ResponderExcluir
  2. A música tem um poder dentro da gente que é difícil de explicar, né?
    Como estudante de música, ler relatos como o seu me deixa com lágrimas de felicidade nos olhos.
    Esse sentimento intenso, a sensação de pertencer e ser compreendida, o ombro amigo que encontramos... É por isso que amo a música!
    Fico muito feliz que tenha tido uma exper incrível, e sei que vai levar no coração por muito tempo 💛

    ResponderExcluir
  3. Seu sorriso nas fotos já diz tudo hehe. Tão linda, e parece tão feliz!
    Eu sei bem como é encontrar algum artista que nos inspira e nos toca. Muita gente da música tem esse poder sobre mim, mas sempre falo com muito carinho do David Bowie <3
    Parabéns por ter conseguido ir nesse show!

    ResponderExcluir

Quem escreve

Michelly Melo.

25 anos dividindo uma vida entre a paixão pelos livros e a vontade de ser escritora.

Redes sociais

Busca

Já curtiu nossa página?

Editoras parceiras

Seguidores

Resenhas

Um marido de faz de conta

Editora Arqueiro

Ler o post

Ilha de Vidro

Editora Arqueiro

Ler o post

Justiça a qualquer preços

Editora Arqueiro

Ler o post

A Grande Solidão

Editora Arqueiro

Ler o post

As Irmãs Grimm #3

Editora Novo Século

Ler o post

Vox

Editora Arqueiro

Ler o post
@oventodoleste
Subir