Páginas

Onde me encontrar

Busca

Quote da semana

Quando acordei hoje de manhã, eu sabia quem eu era, mas acho que já mudei muitas vezes desde então.

Lewis Carroll

[Resenha] Glimmerglass, de Jenna Black


Dana já mudou de escola mais vezes do que é capaz de lembrar. Todas as vezes em que sua mãe acreditava que o pai de Dana poderia encontrá-las, a garota era obrigada a se despedir dos raros amigos que fazia e fazer as malas mais uma vez. Aos dezesseis anos, ela não tem amigos, não conhece o pai e não há perspectivas de que as coisas melhorem até que possa entrar para faculdade. Ela só precisaria aguentar mais um ano e meio e escolheria uma faculdade distante o suficiente para se livrar dos problemas da mãe. Pelo menos era o que ela acreditava até ver a mãe entrando alcoolizada na escola no dia do seu recital. Ela nem sabia por que tinha avisado a mãe sobre a apresentação, mas não tinha como consertar as coisas. Mais uma vez ela seria o centro das atenções, com todos zombando dela. Antes que pudesse se arrepender da sua decisão, Dana entra em contato com o pai e foge para a pequena cidade da Inglaterra onde o seu pai morava. Avalon não era uma cidade grande, então não foi difícil encontrar o nome do seu pai na lista telefônica.

Dana não sabia muito sobre o homem que estava indo visitar. Ela via no pai uma forma de fugir dos problemas que sua mãe causava, afinal, dificilmente ela encontraria problemas piores. Aos dezesseis anos, ela já era responsável por manter as contas de casa em dia, sempre economizando o pouco que tinham para manter o básico em casa. Portanto, ter alguém dos problemas sem exigir dela nenhuma responsabilidade seria um sonho.



Foi por isso que ela ignorou todos os avisos da mãe e fugiu para Avalon. Nos momentos em que estava bêbada, a mãe de Dana sempre fala sobre o seu ex-namorado. O cara que poderia prejudicar a filha se soubesse que ela existia. A história variava de acordo com estado alcoólico dela, mas tudo o que sabia era que sua mãe tinha começado a namorar um homem que vivia em Avalon, a única cidade do mundo onde a magia acontecia. Ele era um férreo, mal caráter e envolvido nas políticas da cidade, além de vir de uma família importante. Quando descobriu quem ele era, pouco depois de também descobrir a gravidez, ela decidiu fugir para proteger a filha. Dana não sabia se poderia acreditar nas histórias da mãe e o morar com o seu pai era a única solução que ela conseguia enxergar.

Ao chegar na Inglaterra, ela encontraria o amigo do seu pai que a levaria até Avalon. Mas quase uma hora depois, ela ainda estava sozinha no aeroporto. Pela primeira vez, desde que decidira fugir, Dana começava a repensar suas escolhas. Talvez devesse ter feitos mais perguntas ao pai, afinal eles sequer se conheciam. Quando entrou em contato, ele não fez nenhuma pergunta sobre a sua mãe ou se ela permitiria a viagem. Se Dana não estivesse tão desesperada na hora, teria achado essa atitude estranha. Ela deveria ter feitos mais perguntas. Mas ela não tinha tempo para se desesperar, muito menos para voltar atrás. Ela não tinha como voltar e não queria a sua vida com a mãe de volta. Sozinha, ela vai para Avalon sem imaginar que os problemas com a mãe não eram nada comparados com o que iria encontrar por lá.



Dana é uma garota forte e ao mesmo tempo nova demais para assumir tantas responsabilidades. Desde que se entende por gente, ela era a responsável da casa. Sua mãe nunca foi um exemplo a ser seguido. Por isso, ao mesmo tempo em que ela demonstrava força e coragem para fazer o que fosse necessário, ela também desejava ser apenas uma adolescente normal, com uma família normal. Desejava ter alguém que lidasse com os problemas que ela não deveria lidar com a idade que tinha.

A decisão de ir para Avalon não foi calculada, foi apenas um impulso. Ela não sabia quase nada das coisas que aconteciam na cidade. Ela só havia feito uma pesquisa rápida na internet antes de viajar. Sua surpresa não poderia ter sido maior ao chegar a cidade e descobrir que seu pai era de uma das famílias mais importantes entre os férreos. Assim que coloca os pés na cidade, Dana é envolvida em intrigas políticas e disputas de poder entre as cortes Seelie e Unseelie. O que só piora ao descobrir o motivo de todos estarem atrás dela: Dana é uma Faeriewalker, uma pessoa capaz de andar pelo mundo dos férreos e dos humanos, além de poder carregar a magia para o mundo dos humanos e a tecnologia para o Faerie. O último Faeriewalker foi visto a mais de setenta anos, o que fazia com que Dana fosse ainda mais rara e até mesmo considerada perigosa. Os Faeriewalkers foram responsáveis por muitas mortes na história de Faerie. Eles se tornavam armas de guerra quando envolvidos na política da cidade.

Por isso, vários nomes importantes estavam atrás de Dana. Ela era uma ameaça.




Imagine uma história que te envolva do começo ao fim, sem deixar o ritmo diminuir e ir aumentando a sua curiosidade a cada capítulo. Foi assim que me senti lendo esse livro! Foi uma leitura incrível e me vi ansiosa por saber o que aconteceria em seguida. A autora soube conduzir muito bem o leitor até a última página. Os personagens também fazem parte do ponto alto do livro. Cada um com uma personalidade diferente e importantes para o desenrolar da história.

Este é o primeiro livro da série e se vira muito bem como livro de introdução. Ele deixa vários pontos soltos, indicando que serão respondidos nos livros seguintes, mas nada que atrapalhe a leitura, pelo contrário, ajuda a aumentar a curiosidade do leitor.

Como eu disse, Dana é uma garota forte, mas ao chegar em Avalon e ver sua esperança de ter uma vida normal irem pelo ralo, ela se perde ao tentar descobrir em quem pode confiar. Parece que todos acabam escondendo algo dela. E é fácil perceber que há algo muito maior por trás do que as pessoas demonstram ao se aproximam dela.

Estou aguardando ansiosamente pela chance de ler os livros seguintes e contar para vocês o que eu achei. Por ora, essa leitura está mais do que recomendada! Leiam e depois me digam o que acharam!
  1. Olá!
    Menina, eu já tentei ler esse livro uma vez, mas meio que abandonei, hahahah
    Acho a capa dele linda!
    Bjs
    http://acolecionadoradehistorias.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Poxa, Carol... não desiste não! A história é boa, o começo é meio difícil ate você assimilar tudo o que acontece na cidade deles, mas vai evoluindo bem e logo você já está envolvido na leitura!

      Beijos

      Excluir