[Resenha] Persuasão, de Jane Austen


A história começa apresentando a situação financeira da família Elliot. Uma família conhecida por suas posses e um título, agora estava endividada. Para tentar contornar as dívidas, a família decide mudar para Bath e alugar a propriedade em Kellynch. A casa acaba sendo alugada para os Croft e somente Anne Elliot pareceu perceber a ironia da situação. A Sra. Croft é irmã do capitão Frederick Wentworth, um jovem que há oito anos havia pedido Anne em casamento. Na época, Anne estava completamente apaixonada e havia aceitado o pedido, mas sua família, junto com Lady Russell, havia convencido Anne de que um casamento como esse não poderia ser bom para sua posição social.

Enquanto sua família partia para Bath para escolher sua nova casa, Anne tinha sido convidada por sua irmã caçula – Mary– para lhe fazer companhia por algumas semanas em Uppercross. Anne não esperava estar em Kellynch Hall quando os Croft chegassem para ocupar a propriedade de sua família. Ela temia que capitão Wentworth pudesse aparecer e não sabia o que esperar desse reencontro. Hospedada com a irmã e com seu constante contato com a família Musgrove, ela nunca imaginou que poderia ter que conviver com o seu passado. capitão Wentworth era convidado da família e estava sempre presente. O reencontro que ela tanto temia fez ressurgir o peso de suas decisões passadas e veio comprovar que ela ainda amava o capitão Wentworth. E pela forma distante e fria como ele a havia tratado, estava claro que ele ainda se ressentia por ela ter rompido com o compromisso há oito anos, ele não havia perdoado sua decisão e não poderia culpá-lo.

Agora, Anne precisaria lidar com seus sentimentos e pensamentos sozinha, enquanto teria que vê-lo constantemente, até que pudesse partir para Bath.


Anne é uma jovem bonita, inteligente, melancólica e bondosa. Está sempre disposta a por suas necessidades de lado para ser útil a quem estiver precisando de sua ajuda. Sempre negligenciada e esquecida. Mas capaz de conquistar o carinho de todos a sua volta com sua personalidade altruísta e seus modos educados. Diferente de suas duas irmãs, ela não se importa com posições sociais e títulos. Enquanto suas irmãs tendem a ser invejosas e esnobes, Anne demonstra simplicidade e contenta-se com o que recebe.

O capitão Frederick Wentworth é um homem carismático, leal, bondoso e orgulhoso. Ainda carrega o peso de ter sido rejeitado por Anne e trata de demonstrar certo desprezo quando a reencontra. Mas o seu amor por ela acaba se revelando em pequenos gestos, com o tempo que passam juntos.

Mesmo oito anos depois, é possível enxergar que há algo que precisa ser resolvido entre eles. A tensão entre os dois pode ser percebida conforme a história vai se desenrolando. Mas Anne não é capaz de ceder aos sentimentos que ela renegou no passado, enquanto o capitão Wentworth é orgulhoso demais para esquecer uma rejeição.



Anne Elliot e o capitão Wentworth de cara ganham a nossa torcida. Anne é de uma jovem que tem muito a mostrar, mas não teve oportunidade para aprender a defender suas decisões. Por ter sido ignorada por sua família, ela se limitou a aceitar o que lhe era dado. Para ela, a decisão que havia tomado há oito anos, era irreparável e não havia chance de que o capitão Wentworth a perdoasse.

Enquanto isso, por parte do capitão, é possível ver que ele se esforça para mostrar a Anne que ele não se importa mais com o que aconteceu entre eles. Em alguns momentos ele demonstra um pouco de desprezo e disposição a se vingar do que ela fez, mas sem reconhecer que a aceitaria de volta se ela demonstrasse ter o mesmo sentimento do passado.

Já os outros personagens da história são, em sua maioria, detestáveis. A família de Anne parece ter o dom para absorver grandes defeitos de caráter que o ser humano pode ter. Lady Russell, por mais bondosa que pode parecer, não mede esforços para impor suas vontades (ainda que pareça ser para o bem maior).


Algumas almas caridosas vão sendo acrescentadas apenas quando o livro vai se aproximando da parte final e o leitor é recompensado por aturar tantos personagens desagradáveis.

O que posso dizer é que eu me apaixonei por mais um livro de Jane Austen. A autora tinha características marcantes e sempre acertou na forma de conduzir o leitor. Além de seus livros carregarem críticas a sociedade da época e personagens que conquistam logo nas primeiras páginas. ‘Persuasão’ é um livro que vai construindo a histórias dos personagens de maneira que faz o leitor se sentir vivendo cada parte do que está acontecendo. É uma ótima dica de leitura para quem é apaixonada por romances que se aproximam da realidade e nada fantasiosos.