Quote da semana

“Às vezes, se apaixonar é a atitude mais corajosa que alguém pode ter.”

Kiera Cass, A Coroa

Promoção na Amazon

[Resenha] Um sedutor sem coração, de Lisa Kleypas



Um sedutor sem coração
Lisa Kleypas
Editora Arqueiro
Onde comprar: Amazon

Sinopse: Devon Ravenel, o libertino mais maliciosamente charmoso de Londres, acabou de herdar um condado. Só que a nova posição de poder traz muitas responsabilidades indesejadas – e algumas surpresas. A propriedade está afundada em dívidas e as três inocentes irmãs mais novas do antigo conde ainda estão ocupando a casa. Junto com elas vive Kathleen, a bela e jovem viúva, dona de uma inteligência e uma determinação que só se comparam às do próprio Devon. Assim que o conhece, Kathleen percebe que não deve confiar em um cafajeste como ele. Mas a ardente atração que logo nasce entre os dois é impossível de negar. Ao perceber que está sucumbindo à sedução habilmente orquestrada por Devon, ela se vê diante de um dilema: será que deve entregar o coração ao homem mais perigoso que já conheceu? Um sedutor sem coração inaugura a coleção Os Ravenels com uma narrativa elegante, romântica e voluptuosa que fará você prender o fôlego até o final.

A morte inesperada do conde Trenear, Theo Ravenel, trouxe um fardo maior do que Devon Ravenel jamais imaginou carregar. Devon sempre se recusou a assumir grandes responsabilidades, tratando de aproveitar todos os prazeres de Londres sem pensar em encontrar uma mulher adequada para lhe dar um herdeiro. Não estava disposta a deixar que nada abalasse a sua liberdade. Os Ravenels sempre foram conhecidos por carregarem um péssimo temperamento e Devon sabia que tinha sido isso o que levou o primo a morte prematura. Theo sempre foi inconsequente e teimoso, e as circunstâncias da sua morte compravam isso. Após uma briga com a esposa, Kathleen Ravenel, o homem decidiu montar em um cavalo que ainda não havia sido devidamente treinado, mesmo estando bêbado. Tudo apenas para contraria-la. O resultado foi a cena terrível que se seguiu. Theo foi jogado no ar e quebrou o pescoço na queda.

A infelicidade da morte do primo só não foi maior pelo simples fato de Devon nunca ter gostado de Theo e ainda ter herdado um condado, com toda a imensa dívida que vinha com ele. O Priorado Eversby, resistira ao tempo e a falta de cuidados, só restava saber como. Assim que chegou a propriedade, Devon e o irmão, West, perceberam que o problema era ainda maior. Aquela mansão precisava urgentemente de uma reforma, talvez até mesmo ser demolida. Não havia sequer uma privada dentro da imensidade de cômodos que a preenchiam. Sua prioridade agora era decidir como se livrar dos arrendatários, da dívida que adquirira e correr para longe de todos esses problemas.

Devon ainda precisaria lidar com a viúva de Theo e suas irmãs — Helen, Pandora e Cassandra. Seu primeiro contato com Kathleen não poderia ter sido pior. Uma mulher que apesar das pesadas roupas do luto, era mais jovem do que imaginara e muito bonita. Se não fosse o desprezo que ela logo contraiu por ele, Devon tentaria seduzi-la. Mas Kathleen tinha um gênio forte e aproveitava qualquer oportunidade para contrariá-lo, principalmente depois de descobrir que Devon estava disposto a se livrar da propriedade o mais rápido possível.


Com Devon no Priorado, Kathleen precisava decidir o que fazer quando tivessem que sair dali. Ela agora era responsável pelas irmãs de Theo e apesar da pequena renda de viúva, Kathleen levarias as três irmãs do marido para morarem com ela. Logo dariam um jeito, elas poderiam viver com uma renda menor, mas sentia pelas meninas terem que viver longe da única casa que conheceram. Mas estava difícil pensar em algo depois da chegada de Devon. O homem era terrível! Kathleen saiu correndo de casa, na tentativa de se livrar da raiva que sentia, quando foi pega de surpresa por uma forte tempestade. Ela ainda estava longe da casa e o caminho estava escorregadio e cheio de lama. Sem ter para onde fugir, ela continuou correndo até ser surpreendida por Devon. Helen, preocupada com a cunhada, pediu que o conde a ajudasse. Aquela pequena aproximação causara alguma mudança nos dois. Devon não era capaz de compreender o motivo de ter sentido a necessidade de amparar a mulher que tanto o atormentara. Enquanto Kathleen sentia-se confusa com a mudança repentina na atitude do homem que queria se livrar dela.

Os acontecimentos logo levaram Devon a entender que não poderia se livrar do condado, não sem se sentir culpado por colocar na rua tantas famílias e empregados. Mas seria necessário muito trabalho, disposição e, sem dúvida, muito dinheiro para salvar o que havia sobrado no Priorado. Só restava a ele descobrir como fazer isso, afinal, ele nunca teve que se preocupar com algo tão grande. Como se não fosse pouco, ainda precisaria entender a forte atração que sentia por Kathleen. Ela jamais confiaria em alguém como ele e a cada dia o seu desejo por ela só aumentava. Como salvar um condado sem ir a falência e conseguir conquistar a mulher que atraiu a sua atenção?



No primeiro livro da série sobre os Ravenels, Lisa Kleypas faz uma boa introdução os personagens principais. O primeiro casal da série, Devon e Kathleen, conquista o leitor desde o primeiro capítulo. Um libertino e uma viúva, com temperamentos opostos e que carregam uma forte atração entre eles. Apesar dos clichês que vire e mexe surgem nos romances de época, a autora soube criar uma história autentica, com personagens que cativam o leitor e surpreendem, além de trazer um bom ganho para a história seguinte.

Devon é um cafajeste cabeça dura, mas totalmente apaixonante. Ele não quer de forma alguma abrir mão da sua liberdade ou ter que entregar o seu coração para outra pessoa. Suas conquistas nunca o haviam levado a lugar algum e não chagavam durar o suficiente para prendê-lo. Mas ainda assim sempre havia sido sincera com as mulheres, procurava deixar claro que não queria nada sério com elas. O que não impedia que ele acabasse magoando cada uma delas.


Já Kathleen se envolveu em um casamento sem conhecer toda a personalidade do marido. Quando ficou noiva do Theo, imaginava que o conhecia o suficiente para aceitar o pedido de casamento, mas como dizem “você não conhece uma pessoa até dividir a casa com ela”. O que ela jamais imaginaria é que o casamento duraria três longos dias. Além de ter que lidar com o luto e a responsabilidade de cuidar das irmãs de Theo, precisava aguentar a teimosia e o mau humor de Devon. O homem era o tipo de que fora avisada desde nova para tomar cuidado. Ela sabia que precisava manter distancia de Devon, mas a aproximação deles é mais do que certa.

Com uma narrativa deliciosa e cheia de altos e baixos, a autora conquista o leitor no primeiro livro da série. "Um sedutor sem coração" é uma leitura leve, divertida, vai te deixar com vontade de matar alguns personagens pela teimosia, mas ainda assim irá conquistar o seu coração do início ao fim.


***

Confira a resenha do segundo livro da série aqui no blog: Uma noiva para Winterborne.