Uma conversa aleatória sobre ritmo de leitura

Escrito por
Imagem por Travel Photographer



Oi! Antes de começar o post, aperta o play. :)

Em agosto eu terminei a sexta leitura do ano. Esse foi um marco importante para mim. Há dias em que não consigo sentar e ler uma única página sem deixar que a minha mente divague por diversos pensamentos que me fazem esquecer das palavras que estou lendo. Isso pode acontecer por um dia ou semanas a fio, dias em que não consigo encarar a ideia de parar a minha mente por algumas horas ou minutos que seja. Conseguir concluir uma leitura tem sido um passo grande para mim.

Durante todo esse ano, venho me cobrando muito para retomar o meu ritmo de leitura. No ano passado, ele já havia caído muito. Este ano, ele sequer existe. Foram (e continuam sendo) momentos difíceis para mim. Entender que a vida precisa continuar, não importa o que aconteça, é complicado. Nem sempre pode parecer justo.

Muitas vezes, no mundo literário, esquecemos que a vida envolve muito mais do que passar horas e horas lendo, e compartilhando o que lemos. A vida vai além de uma página com muitos seguidores, curtidas e engajamento. Há dias em que o fardo das decisões (mesmo as que não envolvem você) acaba sendo maior do que somos capazes de carregar. E não há vergonha nisso. Nos cobramos tanto para atingir metas que nos perdemos.

Eu não sei você está passando por algum momento difícil, ou se há algum problema que esteja consumindo os seus pensamentos e tempo, o que quero que você saiba é que ninguém irá julgá-lo por ter uma vida e por não impor o seu ritmo de leitura. Essas cobranças só existem na nossa cabeça. É loucura pensar que as pessoas irão nos julgar por não ter sentado e lido uma única página depois de oito horas de trabalho (no mínimo), mais o trajeto de volta para casa. Ninguém vai olhar para você e dizer que você é menos leitor porque não conseguiu completar a leitura um mês depois de ter começado. Só porque o coleguinha no Instagram posta uma leitura atrás da outra, não quer dizer que você precisa acompanhar o ritmo de leitura dele. A vida é feita de muito mais do que números.

Não digo isso porque eu já estou em um nível de consciência em que isso não me afeta. Pelo contrário, todo dia é uma luta imensa. Há dias em que ao sentar para ler, a minha mente não consegue se concentrar o suficiente para terminar de ler uma frase. Há dias em que o sono me consome, mesmo depois de ter dormido o suficiente. Há dias em que me sinto culpada demais para sentar e ler. Como eu disse, todos temos problemas, problemas que são apenas nosso. E ninguém é capaz de compreender como eles podem nos afetar.

Mas em meio a esse turbilhão de sentimentos, tenho me esforçado para não deixar que a cobrança por retomar o ritmo me consuma. É por isso que resolvi escrever. Talvez nada disso faça sentido para você, talvez seja algo que não tenha importância alguma para você, e está tudo bem! Mas quem sabe exista alguém que esteja enfrentando algo parecido e queira conversar? Ou precise apenas ler algo que seja um pouco distante das diversas cobranças que vemos pela internet. Quantas postagens você já não encontrou em blogs ou redes sociais, com dicas de como melhorar o seu ritmo de leitura? Posso dizer que eu já vi mais do que sou capaz de lembrar. Aliás, se você navegar um pouco aqui no blog, irá encontrar uma postagem com o mesmo assunto. Uma postagem que fez parte de um momento em que tudo era bem mais fácil, onde eu não enxergava que a vida poderia ser mais do que a quantidade de livros que eu marcava como lido no Skoob.

Mas em algum momento, a ficha cai. Em um dia difícil, quando nada estiver dando certo e mesmo assim você conseguir juntar energia o suficiente para abrir um livro e ler uma ou mais páginas, você vai entender. Você vai aceitar o seu próprio tempo e seguir em frente. Você vai perceber que ninguém pode julgar o seu ritmo, porque ninguém está vivendo a sua vida. Ninguém pode dizer que você deve se esforçar mais, porque o peso dos problemas que você está enfrentando nunca será o mesmo para os outros.

Eu já li, e disse, diversas vezes que os livros salvam. E pode acreditar, isso é algo que eu guardo com todo o carinho, porque é a mais pura verdade. Nos dias em que eu precisava de algo que me distraísse ou que me levasse para uma realidade completamente diferente, foram eles que me ajudaram e continuam ajudando. A leitura tem o poder de mudar o mundo, mas, em alguns momentos, só precisamos que ela mude o nosso mundo.

Comentários

  1. Eu ja li vários post´s sobre isso... E o que eu sempre respondo para as pessoas é "Pega leve com o nivel de exigência literária!". O que te faz leitor(a) é que você tira um tempo no meio do caos para ler um pouquinho... Não a quantidade de livros que você lê. E a vida não anda facil... Estamos no segundo ano de pandemia! A leitura deveria estar servindo como um "carinho na alma" e não essa competição absurda.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. EXATAMENTE!
      A leitura deveria servir com um lugar para nos tirar da loucura do mundo. Um lugar onde nenhum problema deveria ter importância. Mas estamos carregando o peso do dia-a-dia para a leitura. Os leitores estão deixando de ler por prazer, mas tornar um trabalho, um fardo.
      É triste...

      Excluir
  2. Uau! Que texto encorajador e que quebra mitos. Gostei de lê-lo.

    Boa semana!

    O blog está em Hiatus de Inverno de 02 de agosto à 02 de setembro, mas comentaremos nos blogs amigos nesse período. Mesmo em Hiatus o blog tem um post novo, não deixe de conferir e comentar.

    Jovem Jornalista
    Instagram

    Até mais, Emerson Garcia

    ResponderExcluir

Postar um comentário