Utilizamos cookies e outras tecnologias de medição para melhorar a sua experiência de navegação no nosso site, de forma a mostrar conteúdo personalizado, anúncios direcionados, analisar o tráfego do site e entender de onde vêm os visitantes. Ao utilizar nossos serviços, você concorda com tal monitoramento.

Mulheres Marcantes #2: Mariam e Laila

Escrito por
Coluna Mulheres Marcantes

Fiquei bastante animada para preparar as postagens dessa nova coluna e já comecei a desenterrar os livros que há muito tempo havia lido para encontrar personagens que possam ser relembradas. Um dos livros que acabei encontrando foi "A Cidade do Sol" e me lembrei do quanto gostei desse livro. É uma história que, em partes, encaixaria na lista do post anterior (Três livros para sair da rotina, confira), com a diferença que os protagonistas neste livro são duas mulheres. Foi uma história que me fez chorar e perceber que existem realidades completamente distantes da nossa.

Por isso, escolhi para o segundo post sobre Mulheres Marcantes na literatura, Mariam e Laila. Duas mulheres que inicialmente não se conhecem, mas que juntas trazem força e inspiração para os leitores, enquanto enfrentam a dura realidade de serem mulheres dentro de uma sociedade opressora no Afeganistão.

A Cidade do Sol

O livro é dividido em duas partes e na primeira você irá conhecer Mariam, que aprendeu ainda na infância qual era o seu "lugar no mundo". Mariam nasceu de um relacionamento fora do casamento de Jalil com Nana, um homem rico e a empregada da casa. Desse relacionamento nasceu uma harami (bastarda), e sua mãe tratava de não deixar que a menina esquecesse. Mariam cresceu aprendendo a aceitar o que a vida lhe descesse sem desejar ter mais do que lhe era oferecido.

No início, quando Mariam ainda era apenas uma garotinha ansiosa pelas visitas semanais do pai, ela ainda tinha a capacidade de esperar o melhor das pessoas e até poderia sonhar. Mesmo com a mãe tratando de fazer com que a filha mantivesse os pés bem firmes no chão, Mariam sonhava e ignorava o que a mãe lhe dizia. Era nova demais para entender que Nana estava certa. Mas a morte da mãe foi como um balde de água fria, porque de um dia para o outro a garota teve que cumprir com o seu destino.

O pai de Mariam não poderia ficar com ela, a família nunca não aceitaria. Então Mariam foi obrigada a aceitar um casamento arranjado com Rashid, um homem que jamais viu e bem mais velho do que ela. Quando ele descobre que a esposa não poderia ter filhos começa a desprezá-la e espancá-la por qualquer atitude que a esposa tenha.

A Cidade do Sol

A segunda parte da história começa e traz Laila, filha de um professor que, todos os dias, mostrava a filha que ela não poderia deixar de lutar pelo o que desejava. Laila foi criada para entender que a vida de uma mulher vai muito além do casamento e ter filhos. Laila é inteligente e frequenta a escola, apesar dos conflitos constantes no Afeganistão.

Quando os pais de Laila morrem em um atentado, ela é obrigada casar com Rashid, que no início a trata melhor que Mariam, mas logo Laila também irá sofrer com os abusos do marido. Dessa forma trágica, o destino trata de unir o caminho das duas e mostrar que elas precisaram estar juntas para suportar o que a vida impôs a elas.

Laila e Mariam poderiam ser mais duas histórias de mulheres que sofrem com a agressividade e abusos do marido, mas o ambiente e os costumes em que ocorrem é o que traz mais realidade e dor ao livro.

O Oriente Médio vive em meio a conflitos constantes e isso é nenhuma novidade. Basta ligar a televisão ou abrir um site de notícias para ver novos conflitos e os resultados da guerra. É uma história que vai além dos conflitos pelo poder, é sobre a forma como a guerra atingiu a liberdade da sociedade. Os direitos das mulheres agora praticamente não existem. Ver essa sociedade sendo retratada e o tratamento que as mulheres são obrigadas a aceitar é o que torna "A Cidade do Sol" um dos melhores livros que eu já li e coloca as duas protagonistas entre as minhas favoritas.

A Cidade do Sol

Com personalidades completamente diferentes, é possível perceber a força de cada uma com a forma que reagem ao que acontece. Mariam se tornou uma mulher forte, mas acima de tudo, submissa. Anos depois da morte da mãe, ela finalmente entendeu o que ela queria dizer. Já Laila, apesar da força que carrega, precisa guardar o que o pai um dia lhe ensinou e aprender a se submeter às ordens do marido.

É impossível não se emocionar e não desejar a força que as duas mulheres trazem, porque independente da dor extrema que sentiam, elas se mantiveram fortes. Não por opção, mas por necessidade. Nenhuma sobreviveria se as duas não reagissem.

3 livros para sair da rotina

Escrito por
Duas postagens atrás, fiz o primeiro post da nova coluna no blog que fala sobre personagens femininos e importância de reconhecer que as mulheres estão ganhando espaços mais relevantes nas histórias, deixando de ser a que precisa ser salva para ser a heroína da própria história. Também falei que muitos dos livros que eu leio são com personagens masculinos e isso também não deve ser um problema. Mas nos últimos dias percebi que alguns dos livros que eu tenho na estante trazem romances diferentes, mesmo que protagonizado por homens. Em algumas história você não encontra nada daquele romance próprio para sessão da tarde. São versões masculinas imperfeitas e que terminam a história um pouco melhores, mas ainda assim longe da perfeição exigida para um conto de fadas. São livros que mesmo fa…

As 10 capas mais bonitas da minha estante

Escrito por
Compro o livro pela capa, sim! Uma das verdades mais comuns entre leitores e mesmo assim alguns livros trouxeram histórias incríveis e não decepcionaram só por ter uma capa bonita. Então, hoje eu separei os livros que antes de tudo foram escolhidos pela capa e eu guardo com muito carinho na minha estante. As Irmãs Grimm (livro 2) foi surpresa foi a maior dessa lista. Encontrei em uma lojinha que fica dentro do metrô aqui em São Paulo,aliás essa loja foi outra grande descoberta! Já falei várias vezes sobre ela aqui no blog e grande parte dos livros que eu comprei neste ano vieram de lá. É uma loja pequena, mas que sempre traz livros diferentes e com preços bem acessíveis. O preço varia entre 5,00 e 20,00, depois adicionaram os lançamentos também, mas esses pelo preço comum de qual…

Mulheres marcantes na literatura #1

Escrito por
Já faz algum tempo que venho imaginando como começar essa coluna no blog. Na verdade, não sei se seria exatamente " como " e sim " quando " começar. A ideia surgiu no início deste ano e a minha intensão era programar a postagem para o dia 8 de Março, quando é comemorado o dia internacional das mulheres, mas logo a ideia foi descartada. Todo ano as postagens são sempre as mesmas. Nesse mesmo dia a internet fica abarrotada de post, fotos e vídeos sobre o assunto. Então achei que seria melhor evitar o clichê, além do fato de que eu não estava satisfeita com o blog naquela época. Passado a data, em abril já estava planejando a mudança do Dezoito Primaveras para o Vento do Leste, portanto a ideia foi decididamente colocada em um arquivo no meu computador e logo em seguid…

[Editora Arqueiro] Lançamento de novembro

Escrito por
Estava ansiosa para falar dos lançamentos da Arqueiro para o próximo mês desde o Encontro de Livreiros, organizado pela editora, na última semana de setembro. Dentre os livros que estão programados para chegar as livrarias, está o livro da trilogia " Os Guardiões ", da Nora Roberts . A trilogia começou a ser publicada em março, deste ano, e já chega ao seu último livro. Ilha de Vidro Uma deusa vingativa procura três joias: estrelas caídas que lhe darão um poder infinito. Para salvar o mundo, seis amigos juntaram forças para detê-la. Agora, na costa selvagem e bonita do condado de Clare, a batalha atinge seu clímax . Doyle Mac Cleirich – soldado e imortal relutante – prometeu nunca voltar para casa. Mas quando a busca pela estrela final o conduz à Irlanda, fica claro que o …

[Resenha] O Jardim Esquecido, de Kate Morton

Escrito por
O Jardim Esquecido Kate Morton Editora Arqueiro Onde comprar: Amazon Sinopse: Uma criança abandonada, um antigo livro mágico, um jardim secreto, uma família aristocrática, um amor negado. Em mais uma obra-prima, Kate Morton cria uma história fantástica que nos conduz por um labirinto de memórias e encantamento, como um verdadeiro conto de fadas. Dez anos após um trágico acidente, Cassandra sofre um novo baque com a morte de sua querida avó, Nell. Triste e solitária, ela tem a sensação de que perdeu tudo o que considerava importante. Mas o inesperado testamento deixado pela avó provoca outra reviravolta, desafiando tudo o que pensava que sabia sobre si mesma e sua família. Ao herdar uma misteriosa casa na Inglaterra, um chalé no penhasco rodeado por um jardim abandonado, Cassandra…

Sorteio "Eu perdi o rumo", da Gayle Forman

Escrito por
Eu pretendia liberar o sorteio quando fosse publicar a resenha do livro, mas tenho alguns livros na frente e o sorteio não tem uma data fixa para ser realizada. Ainda assim, as primeiras impressões sobre a história devem sair ainda nesta semana. Assim que sair, atualizo o post com o link para vocês acompanharem. Agora vamos a história! " Eu perdi o rumo " está entre os lançamentos de setembro da Editora Arqueiro e traz mais uma história da autora dos best-sellers  " Se eu ficar " e " Para onde ela foi ". Confira a sinopse do livro: Freya perdeu a voz no meio das gravações de seu álbum de estreia. Harun planeja fugir de casa para encontrar o garoto que ama. Nathaniel acaba de chegar a Nova York com uma mochila, um plano elaborado em meio ao desespero…